sábado, 14 de abril de 2012

Go Deeper!


"Tendo acabado de falar, disse a Simão: 'Vá para onde as águas são mais fundas', e a todos: 'Lancem as redes para a pesca' " (Lucas 5.4).

Jesus se importava muito com o crescimento espiritual de indivíduos. Apesar dele pregar às multidões e por vezes concentrar seu ensino a elas, sua atenção particular sempre se voltava ao coração humano de alguém em especial. Vermon McGee disse que "todo púlpito é [como] um barco de pesca [...] um lugar para proclamar a palavra de Deus e para tentar pegar peixes". Mas em Lucas 5.1-11 Jesus se desloca da multidão e se concentra num público cativo: Pedro e André, dois irmãos pescadores.

Talvez o ditado popular para que "não somente dar o peixe, mas ensinar a pescar" tenha alguma relação com este texto e contexto. Após fracassarem no ofício da pesca (Lucas 5.5), Jesus assume a liderança do barco (Lucas 5.3,4) e então eles tiveram sucesso na pescaria tal como nunca tiveram antes (Lucas 5.6,7). Isso lhes serviu de sinal para que deixassem sua empresa e seguissem a Jesus (Lucas 5.11). Outros também participaram do milagre da pesca maravilhosa e seguiram ao Senhor com Pedro e André (Lucas 5.9,10).

Você está escondido no meio da multidão ou comprometido em ouvir com particularidade a voz de Jesus e reagir positivamente à sua palavra? Nossa reação à palavra de Jesus indica a qualidade do nosso caráter espiritual.

Neste contexto é preciso ficar com um pé atrás de alguns cristianismos da atualidade, daqueles de cunho sensacionalista, de prosperidade e mercadológico da religião. Essas multidões estão atrás de "peixe", mas sem o interesse de aprender a pescar. Em outras palavras, estão envolvidas com Jesus somente pelo interesse de usufruir algo; mas sem a disposição de envolver-se com sua palavra a tal ponto de tornar-se um "pescador".

O ensino particular de Jesus aos indivíduos tinha como objetivo a transformação de suas vidas. Em seguida, ele os enviava para compartilhar o que aprenderam e experimentaram com ele. É assim conosco também. O ensino de Jesus visa nossa transformação. Paulo estava certo disso quando afirmou que não deveríamos nos moldar aos padrões desde mundo, mas ser transformados pela "renovação da nossa mente" (Romanos 12.2). Ora, o que pode renovar a nossa mente é a palavra de Cristo.

Nossa disposição em aprender com Jesus resultará em transformações constantes no viver para que tenhamos: maturidade espiritual, o caráter de Cristo, eficácia em nosso testemunho pessoal e excelência na apologia da nossa fé.

Algumas lições sobre nosso discipulado ficam explícitas a partir deste texto. A primeira se relaciona com a expressão de Jesus à Simão (ele se chamava assim antes de chamar-se Pedro): "Vá para onde as águas são mais fundas". Jesus convida Pedro a sair da inércia e ir ao lugar profundo. Um fato muito parecido daquele quando Deus disse a Ezequiel para ir a lugares mais profundos do rio da vida (Ezequiel 47.1-12). Assim como ele nos convida a sair da inércia espiritual e intelectual para o aprofundamento da nossa fé e caráter. 

A segunda lição repousa sobre a maneira como Pedro reconheceu a Jesus. Primeiro, ele o chamou de "Mestre" (Lucas 5.5). Ou seja, ele reconheceu que Jesus tinha autoridade. Marcos também relata que o ensino de Jesus tinha autoridade: "Todos ficavam maravilhados com o seu ensino, porque lhes ensinava como alguém que tem autoridade e não como os mestres da lei" (Marcos 1.22). Reconhecer Jesus como mestre exige de nós sujeição à sua autoridade. A autoridade de Jesus está claramente revelada na Bíblia. Segundo, Pedro reconheceu Jesus como "Senhor" (Lucas 5.8). Ou seja, como Deus, a revelação encarnada do único e verdadeiro Deus revelado nas escrituras do Antigo Testamento.

A terceira lição de Lucas 5.1-11, acerca de nosso progresso espiritual como discípulos de Jesus, tem haver com a conseqüência da transformação que Jesus opera através de seu ensino. Jesus disse a Simão que o faria "pescador de homens". Primeiro, ele o convocou à profundidade de vida; depois, ele foi reconhecido por Pedro como "Mestre" e "Senhor". Agora que ele se tornou um discípulo de Jesus estaria sendo preparado pelo próprio Jesus para "pescar" gente, ou seja, fazer discípulos. "Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações [...] ensinando-os a obedecer a tudo que eu lhes ordenei [...] (Mateus 28.19,20).

Você é um verdadeiro discípulo de Jesus? Primeiro, saia da inércia e se comprometa com o aprofundamento de seu relacionamento com Deus. Segundo, dedique-se no conhecimento e aplicação das escrituras em seu viver, pois a Bíblia revela a vontade de Cristo para sua vida. Terceiro, não faça do seu aprendizado bíblico um fim em si mesmo: comprometa-se em compartilhar o que aprendeu, envolvendo-se no discipulado de outras pessoas.

Finalmente, acesse  meios e  oportunidades que visam seu crescimento espiritual. Lembre-se disso hoje. Comprometa-se com Deus com seu próprio progresso espiritual. Para Deus usar sua vida é preciso estar preparado!

0 comentários:

Postar um comentário